Minas On-line – 3ª Edição

Editorial por Dra. Sumara Marques Barral

Por que um editorial?

Alguns conceitos em relação aos cuidados com a limpeza da loja dos silicones mamários são questionados com fundamentação científica e por conflito de interesses. Esse editorial nos alerta sobre informações e condutas preconizadas em relação à sua comprovação. Não apoiamos uma crítica vazia, mas esperamos estimular os colegas ao questionamento e ao estudo. O autor é contrário ao uso de silicones texturizados, sendo essa opinião dele e que também deve ser discutida.

A Dra. Sumara Marques Barral, Especialista em Cirurgia Plástica e Doutora em Cirurgia pela UFMG faz, a seguir, um resumo.

A irrigação intraoperatória do implante mamário pode prevenir o Encapsulamento e o Linfoma Anaplásico de Células Gigantes?

Resumo do Editorial por Sumara Barral

Embora alguns Cirurgiões Plásticos tenham defendido a irrigação intraoperatória do implante mamário como forma de prevenção de encapsulamento e de Linfoma Anaplásico de Células Gigantes, recentes estudos têm demostrado de que se trata de uma prática empírica. Além da irrigação intraoperatória, outras diretrizes foram propostas como eficazes para manter o procedimento cirúrgico estéril e reduzir os riscos de tais afecções no pós-operatório tardio (1,2). No entanto, discute-se que ainda há conflito de interesse no mercado dos implantes mamários (3,4).

Extremosos indicadores da marca Allergan, Culbertson EJ e cols, e Adams WP e cols, indicam 14 medidas para serem adotadas intra-operatoriamente com a finalidade de se prevenir a contratura capsular e do Linfoma Anaplásico de Células Gigantes. Apesar de ter comunicado em um evento da FDA que acompanhariam as pacientes durante um período médio de 11,7 anos, o grupo teria sido avaliado durante 9 anos. Mesmo se comprometendo a esse seguimento, nem mesmo o período de 9 anos de acompanhamento não é matematicamente possível, já que o comunicado ao Comitê de Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica da FDA ocorreu em março de 2019 (4,5). Tampouco, pelo mesmo motivo, esse trabalho pode ser considerado prospectivo, como no escopo do texto original. Além disso, oito pesquisadores associados ao estudo, não seguiram ao menos 13, das 14 recomendações feitas. (1,2)

Apesar de Culbertson EJ ter relatado não haver conflito de interesse, é notório que Adams WP tenha ligação com várias empresas produtoras de implantes (4). Somente no ano de 2016, Adams recebeu Setenta e Cinco Mil Dólares da Empresa Allergan com sede principal em Dublin (Irlanda), com a finalidade de valorizar a necessidade de técnica asséptica, adotando-se desde a lavagem do implante com antibiótico, troca de luvas após a confecção da loja e técnica de “mínimo toque”, de forma a se tentar evitar o Linfoma Anaplásico de Células Gicantes (5).

Por outro lado, alguns estudos associam a presença de bactérias formando um biofilme na cápsula do implante ao Linfoma (6,7); embora isso não tenha sido comprovado. A irrigação com povidine-iodine também não está comprovada, mesmo porque a sua indicação (na própria embalagem) é de uso externo e não é estéril. 

Nesse contexto, novos estudos precisam ser realizados com o intuito de se estabelecer as causas de eventos adversos na colocação de implantes mamários. O sistema imunológico é uma cascata a se esclarecer, bem como os desdobramentos sistêmicos a um estímulo local.

Acesse o artigo completo aqui.


Referências:

1) Culbertson EJ, Felder-Scott C, Deva AK, et al. Optimizing breast pocket irrigation: the Breast Implant-Associated Anaplastic Large Cell Lymphoma (BIA-ALCL) era. Aesthet Surg J. Published 10 September 2019.
2) Adams WP, Jr., Culbertson EJ, Deva AK, et al. Macrotextured breast implants with defined steps to minimize bacterial contamination around the device: experience in 42,000 implants. Plast Reconstr Surg. 2017; 140:427.
3) Swanson, E. A Rebuttal of Antibiotic Irrigation as a Method to Reduce Risk of Capsular Contracture and Breast Implant-Associated Anaplastic Large-Cell Lymphoma. Editorial. Annals of Plast Surg. 2020; 85(5): 461-463.
4) Swanson, E. Plastic Surgeons Defend Textured Breast Implants at 2019 US Food and Drug Administration Hearing: Why it is time to reconsider. Plast Reconstr Surg Blob Open 2019 Aug; 7(8): e2410. Disponível em: https://www. ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6756678/#. Acesso em 21/01/21
5) https://www.fda.gov/advisory-committees/advisory-committee-calendar/march-25-26-2019-webcast-information-general-and-plastic-surgery-devices-panel-medical-devices. Acesso em 21/01/21.
6) Hu H, Johani K, Almatroudi A, et al. Bacterial biofilm infection detected in breast implant-associated anaplastic large-cell lymphoma. Plast Reconstr Surg. 2016; 137:1659–1669. 
7) Walker JN, Hanson BM, Pinknes CL, et al. Insights into the microbiome of breast implants and periprosthetic tissue in breast implant-associated anaplastic large cell lymphoma. Sci Rep. 2019;9:10393.

Compartilhe

Rua Timbiras, 2072, sl. 1105 - Lourdes Belo Horizonte - MG - Brasil CEP: 30170-000

(31) 3275.1488

sbcpmg@sbcpmg.org.br